terça-feira, 14 de julho de 2009

IBAMA

Postado por Jaí Strapazzom
Este é o nome de um órgão federal, que tem como principal meta a fiscalização do meio ambiente. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente. Engloba todas as áreas, a fauna a flora, beira de rios e lagos, enfim um trabalho da mais lata importância para o país. Muito embora atuando com falta de pessoal técnico, para realizar suas funções, mesmo assim este instituto tem dado respostas aos problemas abordados.

Mas, às vezes, por força de uma legislação dúbia, e capenga mesmo querendo ser eficiente acaba por protagonizar episódios que vão contra todas as regras, principalmente as do bom senso. Outro dia, assistindo ao noticiário na TV apareceu a imagem de uma aposentada, de uma cidade do interior de São Paulo, a qual fora condenada a devolver ao IBAMA um papagaio, animal de estimação desta senhora, alem de, e aqui o símbolo da prepotência, da humilhação, e da falta de bom senso das autoridades, ter que prestar serviço comunitário (varrer ruas) como pena pelo crime de manter em casa com todo o carinho e dedicação um papagaio.

Ontem, mais uma vez, a TV mostra um caso diferente, mas, dentro do mesmo contexto. Um cidadão, com oitenta e nove anos, está encontrando dificuldades para encontrar alguém que se interesse pelo zelo e pelos cuidados de um viveiro de aves, muitas das quais em extinção, e devidamente licenciada pelo IBAMA, por que, segundo ele já não tem mais condições físicas para poder dedicar-se aquela tarefa. No mesmo jornal, uma brasileira vinda do exterior, teve sua ave de estimação “presa” pela policia Federal (IBAMA) obrigando a contratação de um advogado para impetrar um “mandato de segurança” tentando evitar que o animal seja sacrificado (talvez a policia ache que ele seja um espião disfarçado). Ora, no mínimo uma PALHAÇADA, das nossas ditas “autoridades”

Vai alem o proprietário, que até agora aqui do Brasil, não apareceu ninguém que manifestasse interesse, apenas de fora do país uma organização teria se manifestado. Mesmo desgostoso acredita ele que terá de repassar para esta entidade a tarefa. Bem, daí juntamos os dois casos. Primeiro alguém que cria com amor e dedicação um animal de estimação é condenada a prestar serviços por este crime. Segundo, alguém que se dedica a salvar espécies retirando-as dos maus tratos e por sua conta banca inclusive pesquisas visando a reprodução, fica na iminência de ter que repassar para um ONG estrangeira todo o seu trabalho, por que aqui no Brasil, não tem gente interessada.
Ora, não estaria na hora deste Instituto parar com alardes com assuntos sem interesse? Será que não estaria na hora de focarem-se nos verdadeiros problemas ambientais e deixar de lado as picuinhas e as bobagens só para aparecerem na tela da Globo? Porque ao invés de aplicarem penas em quem ama os animais, não fazem uma visita ao Congresso Nacional. 14/07/2009

Um comentário:

Alda do Crítica disse...

Amigo jaí, a prioridade no Brasil é arrecadar imposto afim de que o caixa em Brasília tenha fundos para encher os bolsos dos políticos. A fauna, flora, natureza deste país está se acabando e ninguém liga. Agora até legalizaram quem devastou a Amazônia. Esta corja que dirige o país deu graças a Deus o governo militar acabado para eles terem um país livre onde o dinheiro corre solto para encherem os bolsos. O povo e seus problemas são assuntos secundários na Nação brasileira. Virem-se como podem desde que paguem seus impostos Brasília e sua corja cresce.

Grande abraço.
Alda